Artigos

Artigos originais e traduções de bons textos que encontramos na internet. A confiabilidade dos conteúdos oferecidos é nossa maior preocupação, por isso buscamos postar apenas textos com bibliografias e/ou que venham de fontes confiáveis.

Estátua do imperador Trajano é encontrada em Laodicéia, Turquia

Artigos > Roma Antiga  |  1,8 mil visualizações  |  809 palavras

Salvar nos favoritos
Capa do artigo: Estátua do imperador Trajano é encontrada em Laodicéia, Turquia

Artigo produzido com base em traduções de notícias publicadas pelos sites The History Blog e Hurriyet Daily News, entre 30 de março e 1° de abril de 2019.

Uma estátua monumental do imperador romano Trajano foi descoberta na antiga cidade de Laodicéia, perto da moderna cidade de Denizli, no que hoje é o oeste da Turquia. A estátua tem três metros de altura e retrata o imperador vestido com regalias militares que se elevam sobre uma figura muito menor de um prisioneiro com as mãos amarradas atrás das costas. A qualidade da escultura é excepcional, com detalhes finos esculpidos no peitoral, no rosto e na roupa do imperador. Ela data de 113 d.C.

As ruínas da cidade de Laodicéia.

Laodicéia estava na província da Frígia (o prisioneiro preso está usando um gorro frígio), localizado em uma importante rota comercial que lhe trouxe grande riqueza e prosperidade. Na verdade, era tão rica que, quando um terremoto destruiu a cidade em 60 d.C., os moradores recusaram qualquer ajuda do império e a reconstruíram com seus próprios recursos. Eles reconstruíram em grande estilo, com seus cidadãos mais proeminentes patrocinando a construção de teatros, banhos, templos, um estádio e uma miríade de outros edifícios públicos e obras de arte. A cidade recebeu o status de cidade livre pelos romanos o que a tornou autônoma e autogovernada, ela até cunhou suas próprias moedas.

Também era uma região altamente sísmica. A estátua foi encontrada quebrada em 356 pedaços, todos eles agrupados. Arqueólogos acreditam que ela foi derrubada e quebrada em um terremoto e foi enterrada sob uma fonte. É por isso que sobreviveu quase inteira em um só lugar, apesar de extensos danos. A escultura foi descoberta no mesmo local que a Lei da Água, a inscrição incrivelmente longa e detalhada que descreve as muitas e variadas penalidades por violações das leis de água da cidade.

É provável que a estátua seja uma das mais originais de seu tipo em termos de tamanho e complexidade. A escultura de três metros de altura foi desenterrada em 356 peças, todas coladas. Escavações foram realizadas sob a liderança do professor Celal Şimşek.

Celal Şimşek, professor doutor da Universidade Pamukkale, de Denizli. Departamento de Arqueologia e Chefe das escavações em Laodicéia, diretor do Instituto de Arqueologia.

Afirmando que a escultura estava entre os artefatos mais importantes descobertos na antiguidade durante as escavações nos últimos 15 anos, Şimşek disse: “A mais importante e mais longa inscrição da era antiga, a 'Lei da Água' também foi descoberta junto com esta escultura. "

“Descobrimos que ela foi feita em 113 d.C., já que o imperador morreu em 117. Havia muitas esculturas de Adriano desenterradas até agora, mas essas esculturas imperiais de Trajano são de alta qualidade. Deve ter sido feita por um artista que viu o imperador pessoalmente. As características do retrato em seu rosto são realmente complexas e detalhadas. Trajano foi um verdadeiro soldado imperador e expandiu o Império Romano até seus limites mais distantes. Ele também tornou o império muito rico”, acrescentou o professor.

A estátua retrata Trajano usando um chiton curto e tem um pano caindo do ombro esquerdo, que, de acordo com Şimşek, é digno de atenção.

A estátua de 3 metros do imperador Trajano.

“As imagens na armadura podem ser observadas com muita clareza. Na parte superior da armadura, há o trovão de Júpiter, o deus celestial do trovão. A Medusa está localizada bem no meio do peito, o que é importante porque mostra o lado assustador do imperador. Há dois grifos recíprocos (uma criatura lendária com o corpo, a cauda e as pernas traseiras de um leão), que são o símbolo do deus Apolo. Nós vemos Apolo como o deus que protegia as belas artes. Com isso, o que vem à mente é que o imperador era um protetor das artes em seu tempo”, disse ele.

“Há uma jarro de água no centro. Os grifos esticam as patas dianteiras em direção ao jarro de água. Dada a Lei da Água, mostra que ele era um imperador que trouxe água para Laodicéia com arcos e canos feitos de travertino. Ele deu 30.000 denários, o que com o dinheiro de hoje seriam cerca de 300.000 liras turcas. Depois disso, porque Laodicéia era uma cidade muito rica, eles construíram uma grande estátua e a colocaram nesta fonte. Talvez pessoas de todo o mundo venham para ver  esse trabalho aqui. Esta estátua é importante neste aspecto. De fato, em termos de proporção e retrato, estamos realmente felizes em encontrar esta estátua do imperador ”, acrescentou.

A estátua se quebrou em 356 pedaços depois de um terremoto destrutivo, enterrando-os todos sob a fonte em que se encontra hoje. A descoberta é única e sem precedentes no mundo, e acredita-se que ela tenha exatamente 1906 anos de idade.

Gostou desse artigo?




TAGS

Trajano

Mais artigos sobre Roma Antiga

A Estátua de Augusto da Primaporta

Uma introdução à Arquitetura romana

Damnatio memoriae - Romanos tentando apagar a História

Artigo publicado em 10/04/2019.



Foto de membro da equipe do site: Moacir Führ

Escrito por

Moacir Führ

Moacir tem 34 anos e nasceu em Porto Alegre/RS. É graduado em História pela ULBRA (2008-12) e é o criador e mantenedor do site Apaixonados por História desde 2018.

Fechar

Comentários dos visitantes

Ícone alerta azul

Contribua para um debate inteligente e educado na internet.
Não seja um troll.

Item salvo nos seus favoritos

Nova atualização do site

Pega Title Pega URL