Artigos

Artigos originais e traduções de bons textos que encontramos na internet. A confiabilidade dos conteúdos oferecidos é nossa maior preocupação, por isso buscamos postar apenas textos com bibliografias e/ou que venham de fontes confiáveis.

Arquitetura Minóica em Creta

Artigos > Grécia Antiga  |  4,8 mil visualizações  |  1145 palavras

Salvar nos favoritos
Capa do artigo: Arquitetura Minóica em Creta

A contribuição única da civilização minóica para a arquitetura européia é provavelmente mais evidente nas grandes estruturas palacianas dos principais centros minóicos de Cnossos, Faestos, Mallia e Zacros.

Mapa mostrando a localização das principais áreas de povoamento minóicas.

Talvez influenciados pelo Egito e pelo Oriente Próximo, e evoluindo a partir dos túmulos monumentais do período anterior, estes edifícios magníficos, construídos entre 2000 e 1500 a.C., eram tão complexos e pioneiros nos seus padrões arquitetônicos que podem até ter sido a fonte original do mito do Labirinto, tal teria sido seu efeito sobre um visitante casual.

Palácios minoanos

Embora a palavra "palácio" seja comumente usada para se referir a esses centros minóicos, é preciso ter cuidado com conotações modernas como centro de poder "político" e "centralizado" que a palavra "palácio" implica.

O Palácio de Cnossos em 1350 a.C. Ilustração moderna de JR. Casals Art e Heritage.

Os complexos minóicos eram grandes e bem equipados, incluíam grandes áreas públicas e possuíam extensos depósitos para armazenamento, mas a evidência arqueológica não é, no momento, suficientemente conclusiva para afirmar definitivamente que esses palácios eram a sede de um governo central, seja ele religioso ou político.

Vasos de cerâmica em exibição no palácio de Cnossos.Vasos de cerâmica gigantescos encontrados no palácio de Cnossos. Via Wikimedia Commons.Área de armazenamento na ala oeste do palácio de Cnossos.

No entanto, é possível dizer que a presença de um grande número de selos, tabletes, vasos de armazenamento e ânforas, além do espaço dedicado ao armazenamento (mais de um terço do local) sugira que os palácios eram o centro de uma rede de comércio centralizado, tanto localmente como no estrangeiro.  Além disso, o tamanho e o esplendor dos edifícios sugeririam a necessidade de uma certa organização centralizada de planejamento, artesãos e materiais.

A característica mais marcante dos palácios é o seu tamanho monumental, cobrindo vários milhares de metros quadrados. Também impressionante é a altura deles; alcançando quatro andares em algumas partes.

Maquete do palácio de Mallia no Museu de Heraclião.

Outra característica era a relativa pequenez dos quartos individuais dentro do palácio. Estas salas eram muitas vezes multifuncionais, funcionando como corredores, entradas e saídas, áreas de passagens ou como poços de luz, outra inovação minoana.

Infelizmente, a escassez de achados arqueológicos tornou difícil determinar a função exata de muitos desses quartos. Por exemplo, com relação as pequenas salas afundadas ou "bacias lustrais", que eram salas que estavam abaixo do nível do chão e eram alcançadas por uma escadaria em forma de L, à sua função original ainda é muito discutida.

Escadas do palácio de Cnossos.

A presença de chifres sagrados pelo palácio pode sugerir um propósito ritual, mas ainda faltam provas mais definidas.

Padrão de chifre encontrado em diversas partes do palácio de Cnossos.

As salas dos palácios, fechadas ou abertas por meio de portas de madeira que poderiam ser colocadas em recessos nas paredes,  podiam ser dispostas de muitas maneiras diferentes. Este layout labiríntico foi aumentado talvez pela natureza evolutiva do desenvolvimento do palácio, construído do centro para o exterior.

Maquete de madeira do palácio de Cnossos no Museu de Heraclião. Visto por um visitante estrangeiro, os palácios de Creta eram uma estrutura confusa que podiam parecer um labirinto sem saída.

Um efeito adicional disso foi que o visitante teria que dar muitas voltas ao redor do palácio antes de finalmente chegar ao impressionante pátio central, o ponto principal de todo o complexo, construído em uma proporação maior e orientado de norte a sul.

Apesar do layout estrutural aparentemente aleatório e confuso, é possível observar algum grau de estrutura repetitiva e organizacional nos diferentes palácios. As alas leste e oeste geralmente continham grandes salões, e os quartos menores e às vezes afundados estavam frequentemente próximos a áreas de armazenamento, que costumavam ficar na ala oeste.

Piscina ou cisterna do palácio de Zacros.

Os poços de luz geralmente ficavam de um lado das salas menores e no centro das salas mais longas e retangulares. Havia sempre entradas principais e secundárias, e um salão com colunas na ala norte. Em contraste, algumas características são exclusivas de alguns palácios, por exemplo, a "sala do trono" só existia em Cnossos, e em Zacros havia piscinas de pedras circulares.

Materiais de construção

Os materiais utilizados para a construção eram blocos de arenito e calcário, retirados de pedreiras locais, com traves de madeira, também era adicionado entulho, talvez, para tornar o prédio resistente à atividades sísmicas. Uma grande pátio ocidental também é comum aos palácios, e estes eram geralmente pavimentados com lajes de calcário.

Reconstrução do palácio de Cnossos, visão a partir do pátio central. Ilustração moderna, autor desconhecido.

Escadas, batentes das portas, e em alguns quartos, bancos, pisos (com reboco vermelho ou branco nos interstícios) e, às vezes, as partes inferiores das paredes também eram feitas com gesso. Os telhados eram sempre planos e construídos com vigas de madeira.

Toras transversais que sustentam o teto do palácio de Cnossos.

A decoração dos edifícios incluíam esculturas de pedra, particularmente, chifres de consagração. As paredes eram pintadas, às vezes com afrescos, estucadas ou folheadas com madeira.

Padrão de golfinhos em afresco do palácio de Cnossos em Creta.

Colunatas e Sistemas de Água

Grandes áreas com colunas também eram um recurso tipicamente minoano. Os pilares de madeira eram pintados de vermelho ou preto, e eram normalmente torras viradas com o lado mais fino para baixo.

No topo delas, frequentemente eram colocadas uma caixa estilizada com capitéis de madeira redondos simples pretos ou vermelhos. Essas colunas, e outras colunas de pedra mais simples, foram usados ​​não apenas para suportar o peso do teto, mas para dividir espaços, permitindo a entrada de luz e ar, além de seu efeito estético.

Detalhe de um capitel do palácio de Cnossos. Sala do Trono. Via Wikimedia Commons.

Outra característica inovadora dos palácios eram seus complexos sistemas de drenagem. Estes tomavam a forma de canais de pedra, bacias de decantação, tubos de barro sob o piso e telhas de barro em forma de u, muitas vezes incorporando canais e curvas para retardar a descida da água e evitar respingos.

Detalhes do sistema de drenagem do palácio de Cnossos.Detalhes do sistema de drenagem do palácio de Cnossos.Detalhes do sistema de drenagem do palácio de Cnossos.Detalhes do sistema de drenagem do palácio de Cnossos.

Em resumo, podesse dizer que os palácios minóicos, com suas colunatas, pátios centrais, uso imaginativo do espaço e esplendor geral, estabeleceram o plano para futuras civilizações do mar Egeu, em particular os micênicos e gregos, que incorporariam muitas dessas características em sua própria arquitetura monumental.

Tradução de texto escrito por Mark Cartwright
Maio de 2012

Gostou desse artigo?




Mais artigos sobre Grécia Antiga

Teseu, a história do Herói de Atenas

Deuses e práticas religiosas gregas

História dos vasos gregos

Fontes bibiliográficas:

Cline, E.H. The Oxford Handbook of the Bronze Age Aegean. Oxford University Press, USA, 2012.
Davaras, C. East Crete. Hannibal, Athens
Davaras, C. Malia. Hannibal, Athens
Davaras, C. Phaistos - Hagia Tirada - Gortyn. Hannibal, Athens
Davaras, C. The palace of Knossos. Hannibal, Athens
Higgins, R. Minoan and Mycenaean Art. Thames & Hudson, 1997.
Hutchinson, R.W. Prehistoric Crete. Pelican / Penguin Books, 1963.
JR. Casals Art e Heritage. Knossos Palace, Reconstruction. Acessado em 11 de maio de 2019.
Stylianos, A. Minoan Civilization. Heraclion, 1969.

Artigo publicado em 11/05/2019.



Foto de membro da equipe do site: Moacir Führ

Postado por

Moacir Führ

Moacir tem 34 anos e nasceu em Porto Alegre/RS. É graduado em História pela ULBRA (2008-12) e é o criador e mantenedor do site Apaixonados por História desde 2018.

Fechar

Comentários dos visitantes

Ícone alerta azul

Contribua para um debate inteligente e educado na internet.
Não seja um troll.

Item salvo nos seus favoritos

Nova atualização do site

Pega Title Pega URL