Os achados do Cemitério Real de Ur

Artigos > Mesopotâmia  |  4,2 mil visualizações  |  1636 palavras

Capa do artigo: Os achados do Cemitério Real de Ur

Objetos diversos encontrados no Cemitério de Ur, no túmulo da rainha Puabi. Suméria, cerca de 2500 a.c.
Mais dados sobre cada um dos itens são informados no decorrer do artigo.

A descoberta do cemitério de Ur e das tumbas reais foi um dos maiores eventos da arqueologia do início do século 20. As escavações realizadas pela equipe liderada Leonard Woolley em 1927-1928, e financiada pelo Museu Britânico e do Museu Penn, ocorreram cerca de cinco anos após a descoberta do túmulo do faraó egípcio Tutancâmon, outro grande achado dessa década.

Ur foi uma das grandes cidades da Mesopotâmia no terceiro milênio a.C., e as descobertas do cemitério da cidade, juntamente com as descobertas de centenas de objetos de grande valor em túmulos reais, nos ajudam a entender um pouco melhor a cultura dos povos dessa região. Segundo Roaf:

O fausto das sepulturas do Cemitério Real e a qualidade do trabalho artesanal dos objetos encontrados são extraordinários. Os trabalhos em metal, em particular, demonstram um domínio absoluto das principais técnicas de ourivesaria. Os artesões fabricavam objetos no qual se combinavam diversos materiais sobre madeira. Abundavam as inscrustações de concha e de pedras de diferentes cores, em motivos geométricos e em cenas com gente e animais. (ROAF, 2006, p.90)

Os objetos encontrados nos túmulos reais estão até hoje entre os mais interessantes e bem preservados já resgatados. Todos os livros que tratam da história da Mesopotâmia, acabam, em algum momento, mencionando algum desses achados. Por isso criamos esse artigo, para oferecer uma lista dos principais objetos encontrados nos túmulos reais e algumas informações interessantes sobre ele.

Lira com cabeça de touro

Várias liras foram encontradas no Cemitério Real de Ur. Essa foi uma das duas que foi encontrada no túmulo da rainha Puabi. Junto com a lira, que estava contra a parede do poço, estavam os corpos de dez mulheres com belas jóias  e numerosos vasos de pedra e metal. Uma das mulheres estava deitada contra a lira e, de acordo com Woolley, os ossos de sua mão estavam posicionados onde as cordas deveriam ter estado.

As partes de madeira da lira haviam apodrecido, mas Woolley colocou gesso na depressão deixada pela madeira e assim preservou a sua decoração. A máscara de ouro de touro que decora a frente da caixa sonora havia sido esmagada mas foi restaurada. Os chifres são modernos, mas a barba, os olhos e cabeça são originais e feitos de lapiz-lazuli.

O Museu Britânico possuí duas dessas liras: a Lira de Prata e a Lira da Rainha. Ambas possuem cerca de um metro de altura.

A Lira da Rainha (à esquerda) e a Lira de Prata em exibição no Museu Britânico.A Lira da Rainha.Detalhe da cabeça de touro na Lira da Rainha.A Lira de Prata.Detalhe da cabeça de touro na Lira de Prata.

O Estandarte de Ur

Esse objeto está atualmente exposto no Museu Britânico. Ele é bem menor do que parece a primeira vista. Tem apenas 21,7 cm de altura, por 50,4 cm de comprimento.

O Estandarte de Ur foi encontrado em um dos maiores túmulos do Cemitério Real de Ur, em um canto de uma câmara sobre o ombro de um homem. Sua função original ainda é desconhecida. Leonardo Woolley imaginou que era carregado em uma estaca como um estandarte, por isso o seu nome. Outra teoria sugere que seria uma caixa de som para ressonância de algum instrumento musical de corda.

Alguns livros nacionais chamam esse objeto de o Padrão de Ur. Isso se deve a um erro de tradução, a palavra "Standard" em inglês pode ser traduzida também como padrão, mas nesse caso a tradução correta é Estandarte.

O objeto é feito de um quadro de madeira, com mosaicos de conchas, calcário vermelho e lápis-lázuli, fixados com betume. Os painéis principais são conhecidos como o "Guerra" e "Paz". O painel "Guerra" mostra uma das primeiras representações de um exército sumério. Carruagens, cada uma puxada por quatro burros, atropelam inimigos; infantaria vestindo capas carregam lanças; soldados inimigos são mortos com machados, outros são levados em procissão nus e apresentados ao rei que segura uma lança.

O painel "Paz" mostra animais, peixes e outros bens sendo levados em procissão para um banquete. Figuras sentadas vestindo saias franjadas, bebem acompanhadas por músicos tocando liras. Cenas de banquetes como essa são comuns em selos cilíndricos desse período, como o selo da Rainha Puabi, também em exibição no Museu Britânico.

Os painéis triangulares laterais mostram cenas fantasiosas que estão danificadas.

O Estandarte de Ur, atualmente em exibição no Museu Britânico. N° 121201O Painel 'Paz' com a cena de banquete.O Painel 'Guerra'.Lateral do Estandarte de Ur.Outra lateral do Estandarte de Ur.Detalhe do painel 'Paz'. A Lira mostrada nessa imagem é igual aquela que também foi encontrada no Cemitério.Detalhe do painel 'Paz'. As figuras sentadas com saias franjadas.Detalhe do painel 'Guerra'. Uma das mais antigas representações de soldados da História. Os soldados carregam machados simples, que também foram encontrados nos túmulos. Confira uma foto deles na Galeria ao final do artigo.

Adaga de ouro

Atualmente em exposição no Museu Penn, tanto a adaga quanto a bainha são reproduções feitas pelo processo de Eletrotipo. As originais estão em Bagdá. Ambas foram encontradas em Ur janeiro de 1928.

O cabo da adaga é de lapis-lazuli com bolas de ouro. A lâmina é de ouro, lisa na parte traseira exceto pelas linhas no centro. Ela possui um furo para corréia no cabo. Ela possui 37,6 cm.

A bainha é toda de ouro com um design intrincado cheio de gravações geométricas. A bainha também possui furos na parte traseira para ser presa ao corpo. Ela possui 25,2 cm. 

Essa adaga foi encontrada no mesmo local do elmo, e é do mesmo período; é possível que pertencesse a mesma pessoa. Como era feita de ouro, em uma época em que as armas eram feitas de bronze, teria sido impraticável em batalha, sendo mais uma forma de representar riqueza e poder.

Elmo de Meskalamdug

Elmo martelado a partir de uma única folha de ouro de 18 quilates com detalhes gravados e em relevo. Para o interior foi montado um boné acolchoado, fragmentos desse pano e do enchimento de lã foram encontrados. O pano foi usado do lado de fora como uma proteção e preso por laços que passavam por buracos ao redor do aro. As orelhas são perfuradas para permitir a audição. Tamanho: 22,7 x 27 x 27 (AxPXL).

O original se encontra em Bagdá. Cópias desse elmo, feitas através do processo de Electrotyping, podem ser encontradas no Museu Britânico, e no Museu Penn.

Carneiros surpreendidos no mato

Leonard Woolley descobriu duas dessas estátuas nas tumbas reais. Uma delas está em exibição no Museu Britânico e a outra no Museu Penn. O arqueólogo deu o nome de "Carneiros no bosque", uma referência biblíca a Gênesis 22:13.

O carneiro é mais precisamente descrito como um bode, e está na posição comumente adotada por bodes. Esses foram uns dos primeiros animais a serem domesticados no Oriente Médio. Eles eram comuns na vida dos agricultores e regulamente retratados pelos artista de diversas formas.

Seu corpo é coberto de conchas. A cabeça e as pernas são cobertas de ouro, as orelhas são de cobre, e os chifres e a pelagem do pescoço são de lapiz-lazulii. Seus genitálias são de ouro. A árvore é coberta de ouro. O suporte da estátua é decorado com conchas, calcário vermelho e lapiz-lazuli.

O tubo saindo das suas costas sugeste que era usado para apoiar alguma coisa, provavelmente uma tijela.

Adorno de cabeça da rainha Puabi e outras joias

Este adorno de cabeça ornamentado e um par de brincos foram encontrados com o corpo da Rainha Puabi no Cemitério Real de Ur. A parte de cima é composta de 20 folhas de ouro, duas cordas de lapis e cornalina e um grande pente de ouro. Além disso, ela usava gargantilhas, colares e grandes brincos em forma de lua. A parte superior do seu corpo estava coberta por fios de contas feitos de metais preciosos e pedras semipreciosas que se estendiam dos ombros até o cinto. Dez anéis decoraram seus dedos. Um diadema ou filete feito de milhares de pequenas contas de lápis-lazúli com pingentes de ouro representando plantas e animais estava aparentemente em uma mesa perto de sua cabeça.

Dois atendentes estavam na câmara com Puabi, um agachado perto de sua cabeça, o outro a seus pés. Vários vasos de metal, pedra e cerâmica estavam em volta das paredes da câmara.

Joias da rainha Puabi em exposição no Museu Penn.Joias da rainha Puabi em exposição no Museu Penn.Essas joias também pertencem a rainha Puabi e estão expostas no Museu Britânico.

O Jogo Real de Ur

Nós do Apaixonados por História já escrevemos um artigo inteiro dedicado ao famoso Jogo de Ur, também conhecido como o Jogo dos 20 Quadrados. Era um jogo muito conhecido na antiguidade, e um tabuleiro foi descoberto nas escavações do Cemitério Real de Ur. Para ler o nosso artigo sobre ele clique aqui.

O Jogo Real de Ur. Museu Britânico. N° 120834

Outros itens diversos

Centenas de outros itens menores e menos conhecidos foram encontrados no cemitério real de Ur. Os mais famosos já foram citados acima. Abaixo você confere uma galeria com fotos de alguns desses outros itens.

Gostou desse artigo?




loading

Carregando galeria...

Galeria de imagens

1 de 7

Ornamento de fragmento de móveis
Lança e machado
Tréno da rainha
Harpa da rainha
Recipiente de ouro
Selo cilíndrico de Puabi
Anel de ouro

Ornamento de fragmento de móveis

Ornamento de fragmento de móveis. Tamanho: 9,6 x 10,7 cm. Museu Penn. N° B17064

Mais artigos sobre Mesopotâmia

As origens da escrita na Mesopotâmia

A redescoberta da Assíria

Como era o som do idioma da Mesopotâmia?

Fontes bibiliográficas:

ROAF, Michael. Grandes Civilizações do Passado: Mesopotâmia. Barcelona: Folio, 2006.

Site acessados:

British Museum. Cosmetic Vessel. Acesso em 17 out. 2018.
British Museum. Lyre silver. Acesso em 17 out. 2018.
British Museum. Lyre reconstruction. Acesso em 17 out. 2018.
British Museum. Meskalamdung Helmet. Acesso em 17 out. 2018.
British Museum. Puabi Cylinder Seal. Acesso em 17 out. 2018.
British Museum. Puabi Head-dress. Acesso em 17 out. 2018.
British Museum. The Ram in the Thicket. Acesso em 17 out. 2018.
British Museum. The Royal Game of Ur. Acesso em 17 out. 2018.
British Museum. The Standard of Ur. Acesso em 17 out. 2018.
Penn Museum. Dagger Sheath. Acesso em 17 out. 2018.
Penn museum. Dagger. Acesso em 17 out. 2018.
Penn Museum. Iraq's Ancient Past. Rediscovering Ur's Royal Cemetery. Acesso em 17 out. 2018.
Penn Museum. Queen Puabi' Headdress. Acesso em 17 out. 2018.
Penn Museum. Ram in the Thicket. Acesso em 17 out. 2018.
Wikipédia. Lyres of Ur. Acesso em 17 out. 2018.
Wikipédia. Puabi. Acesso em 17 out. 2018.

Artigo publicado em 15/09/2018.



Foto de membro da equipe do site: Moacir Führ

Escrito por

Moacir Führ

Moacir tem 33 anos e nasceu em Porto Alegre/RS. É graduado em História pela ULBRA (2008-12) e é o criador e mantenedor do site Apaixonados por História desde 2018.

Comentários dos visitantes

Ícone alerta azul

Contribua para um debate inteligente e educado na internet. Não seja um troll.