Tags de Egito Antigo

Tutancâmon (1) Tumba de Meketre (1)
Apoie o site pelo Apoia.se e ajude a promover a História na internet brasileira.
Contribua a partir de R$ 1,00 por mês.

Barco de viagem sendo remado

Objetos > Egito Antigo  |  105 visualizações

Este modelo de um barco fluvial foi encontrado com vinte e três outros modelos de barcos, jardins e oficinas em uma câmara escondida ao lado da passagem que conduz à tumba escavada na rocha do mordomo-chefe real Meketre, que começou sua carreira sob o rei Nebhepetre Mentuhotep II da Dinastia 11 e continuou a servir a reis sucessivos nos primeiros anos da 12° Dinastia.

Meketre está sentado cheirando uma flor de lótus à sombra de uma pequena cabana, que em um barco de verdade teria sido feita de uma estrutura de madeira leve com cortinas de linho ou couro. Aqui, as cortinas são mostradas parcialmente enroladas para permitir que a brisa entre na cabine. Escudos de madeira cobertos com peles de boi são pintados de cada lado do teto da cabine. Um cantor, com a mão nos lábios, e um harpista cego entretêm Meketre em sua viagem. Parado na frente dele está um homem, provavelmente o capitão do navio, com os braços cruzados sobre o peito. Ele pode ser retratado aguardando ordens, mas também pode estar prestando homenagem ao falecido Meketre.

Enquanto os doze remadores impulsionam o barco, um vigia na proa segura uma linha ponderada usada para determinar a profundidade do rio. Na popa, o timoneiro controla o leme. Um poste alto e  branco no meio do navio sustentava um mastro e uma vela (não encontrados na tumba), que teriam sido retirados quando o barco era remado rio abaixo - como representado aqui - contra o vento norte predominante. Indo para o sul (rio acima), com o vento por trás, o barco teria usado as velas.

O barco é semelhante a um que Meketre poderia ter usado em sua vida. Certos detalhes, entretanto, sugerem que nesta viagem Meketre está viajando em direção à vida após a morte. Por exemplo, a flor que ele segura é o lótus azul, uma flor que os egípcios associavam ao renascimento.

Todas as salas acessíveis da tumba de Meketre já haviam sido roubadas e saqueadas durante a Antiguidade; mas no início de 1920 o escavador do MET, Herbert Winlock, queria obter uma planta precisa do layout da tumba para seu mapa da necrópole da 11° Dinastia em Tebas e, portanto, fez seus operários limparem os destroços acumulados. Foi durante essa operação de limpeza que a pequena câmara escondida foi descoberta, cheia de vinte e quatro modelos quase perfeitamente preservados. Na partição dos achados, metade deles foi para o Museu Egípcio, Cairo, e a outra metade foi para o MET.

Texto original do MET.

Local: Tebas, Tumba de Meketre (TT 280, MMA 1101)
Período/Data: Cerca de 1981–1975 a.C. - Reino Médio
Tamanho: 121 cm de largura
Museu: Museu Metropolitano (MET), Nova York
Cadastro no site: 24/10/2020
Ver item no museu


Mais itens sobre Egito Antigo

Máscara mortuária de Tutancâmon

Comentários dos visitantes

Ícone alerta azul

Contribua para um debate inteligente e educado na internet. Não seja um troll.