História da Riqueza do Homem

Livros > Outros temas de História  |  43 visualizações

Capa do livro História da Riqueza do Homem, de Leo Huberman
Autor: Leo Huberman
Título original: Man's Wordly Goods
Páginas: 318
Editora: Zahar Editores
Ano da edição: 1983
Idioma: Português
Skoob: Acessar

Sinopse:

As sucessivas edições deste livro iluminador não constituem apenas em um êxito editorial. Tal fato é, antes de tudo, a confirmação plena de sua importância para a vida cultural do país. Este é precisamente o caso desta História da Riqueza do Homem, de Leo Huberman. Todas as manifestações do saber humano são historicamente condicionadas. Esta verdade não abrange apenas as ciências sociais ou humanas, Leibniz, que foi o filósofo que inventou o maior número de questões, lançava no Protega a tese da historicidade da própria natureza, a orgânica e a inorgânica. Sendo o homem o único animal a modificar o meio circundante através do trabalho, criando a sua circunstancia existencial, a história da riqueza que produz não será entendida se, ao reconstituí-la, fizermos abstrações das condições sociais do trabalho e seus frutos. Compreendendo tal exigência de inteligibilidade, Leo Huberman escreveu este livro magistral, cujo objetivo é explicar a História pelo estudo da teoria econômica e, ao mesmo tempo, explicar a Economia através do estudo da História.


Imagens

Análise do livro

Esse livro ainda não foi resenhado pela equipe do site.

Leo Huberman

Leo Huberman (1903-1968) foi um jornalista e escritor marxista norte-americano, co-fundador da revista Monthly Review. Sua obra mais conhecida, "A História da Riqueza do Homem" ("Man's Worldly Goods"), foi publicada em 1936 após pesquisa realizada na Faculdade de Economia de Londres. Dois anos depois foi nomeado chefe do Departamento de Ciências Sociais do New College da Universidade Columbia.

Jornalista

Mais livros sobre História Econômica

Peter Jay

A Riqueza do Homem

Robert C. Allen

História Econômica Global: Uma breve introdução

Comentários dos visitantes

Ícone alerta azul

Contribua para um debate inteligente e educado na internet. Não seja um troll.