Apoie o site pelo Apoia.se e ajude a promover a História na internet brasileira.
Contribua a partir de R$ 1,00 por mês.

Artigos

Artigos originais e traduções de bons textos que encontramos na internet. A confiabilidade dos conteúdos oferecidos é nossa maior preocupação, por isso buscamos postar apenas textos com bibliografias e/ou que venham de fontes confiáveis.

Um guia para a obra de Tito Lívio - Ab Urbe Condita Libri (Livros I-V)

Artigos > Roma Antiga  |  98 visualizações  |  4301 palavras

Capa do artigo: Um guia para a obra de Tito Lívio - Ab Urbe Condita Libri (Livros I-V)

História de Roma (Ab Urbe condita libri) é uma obra sobre a Roma Antiga escrita por Tito Lívio durante o governo do imperador Augusto (27 a.C.-14 d.C.). Da obra, que contava originalmente com 142 livros, apenas os livros 1-10 e 21-45 sobreviveram.

Uma versão em português, em seis volumes, foi publicada no Brasil na década de 1990 pela editora Paumape. São livros extremamente raros, mas os dois primeiros volumes podem ser encontrados na Library Genesis em versões digitais.

O primeiro volume da coleção trata do período que vai da fundação de Roma até o saque da cidade pelos gauleses em 390 a.C.. Ou seja, compreende todo o período monárquico e os primeiros cem anos do período republicano.

A falta de um índice completo e de um índice remissivo, torna a navegação pela obra extremamente difícil. O que dificulta qualquer tentativa de pesquisa. Pensando nisso criei esse guia que permite a navegação mais simples pelo primeiro volume. O índice é composto pelos subtítulos criados pelo tradutor brasileiro.

O livro original não contava com datas e o tradutor também não se deu o trabalho de adicioná-las, mas eu adicionei várias datas ao guia para facilitar a compreensão dos eventos. Tito Lívio costuma citar batalhas conhecidas e constantemente cita os nomes dos cônsules em exércicio no momento dos eventos. Baseado nessas informações pesquisei as datas na lista de Cônsules que existe nesse link. A obra está em ordem cronológica, dos eventos mais antigos para os mais recentes.

O índice abaixo tem o seguinte formato:
Número da página do livro - Subtítulo do texto

Livro 1: As origens de Roma e a Monarquia (?-509 a.C.)

21 - Chegada de Enéias à ltália (c.1250 a.C.). Casamento com Lavínia, filha do rei Latino.
22 - Guerra contra os rútulos. Morte de Latino e de Enéias
23 - Fundação de Alba Longa
25 - Nascimento de Rômulo e de Remo. A lenda e a história.
26 - Assassínio de Amúlio
27 - Fundação de Roma (753 a.C.)
28 - Morte de Remo. Hércules e Caco
30 - Organização de Roma. Escolha dos senadores.
31 - Rapto das sabinas
33 - Guerra contra os ceninenses. Vitória dos romanos
35 - Traição e morte de Tarpéia
36 - Combate contra os sabinos
37 - Intervenção das sabinas. Aliança entre Rômulo e Tácio
38 - Vitória sobre os fidenates
40 - Vitória sobre os veienses
41 - Morte de Rômulo (c.717 a.C.)
42 - Interregno
43 - Sagração de Numa Pompílio (715 a.C.)
45 - Primeiras reformas de Numa
46 - Criação dos colégios sacerdotais
48 - Consagração de um bosque às Camenas. Festa da Boa-Fé
49 - Sucessão de Tulo Hostilio (673 a.C.)
50 - Advertência de Métio Fufécio a Tulo Hostílio
51 - Tratado entre romanos e albanos
53 - Combate entre os Horácios e os Curiácios
55 - Crime e castigo de Horácio
57 - Traição de Métio. Estratégia de Tulo
59 - Execução de Métio
60 - Destruição de Alba Longa
61 - Guerra contra os sabinos
63 - Morte de Tulo Hostílio (641 a.C.)
64 - Eleição de Anco Márcio. Declaração de guerra aos latinos
66 - Vitória contra os latinos
68 - Chegada de Tarquinio a Roma
69 - Eleição de Lúcio Tarquínio Prisco. (616 a.C.) Organização dos jogos
71 - Ataque dos sabinos. Aumento das centúrias de cavaleiros
72 - Derrota dos sabinos
73 - Rendição de Colácia. Submissão dos antigos latinos
74 - Origem de Sérvio Túlio
75 - Atentado contra Tarquínio Prisco
76 - Morte de Tarquínio Prisco (579 a.C.). Sucessão de Sérvio Túlio
78 - Reformas sociais de Sérvio Túlio
79 - Divisão do povo em classes sociais
80 - Encerramento do censo. Significação do pomério
81 - Construção do templo de Diana
82 - Ambição de Túlia
84 - Golpe de Lúcio Tarquínio
85 - Assassínio de Sérvio Túlio (535 a.C.)
87 - Tirania de Tarquínio Soberbo
88 - Encontro de Tarquínio Soberbo com os latinos
89 - Execução de Turno Herdônio
90 - Fusão dos exércitos latino e romano
91 - Cilada contra Gábios
92 - Tomada de Gábios
94 - Construção do templo de Júpiter
95 - Presságio ameaçador. Consulta ao oráculo de Delfos
97 - Imprudência de Tarquínio Colatino
98 - Desonra e morte de Lucrécia (510 a.C.)
99 - Revolta chefiada por Bruto
101 - Expulsão dos Tarquínios. Fim da realeza (509 a.C.)
103 - Resumo do Livro I

Livro 2 - Do início da República (509 a.C.) à conquista da cidade de Âncio (468 a.C.)

105 - Primeiros cônsules. Escolha de novos senadores
106 - Criação de um rei dos sacrifícios. Exílio de Colatino
108 - Tentativa dos Tarquínios para a retomada do poder
109 - Conspiração dos jovens patricios
110 - Execução dos jovens patrícios. A vindicta
112 - Guerra contra os veienses e os tarquinienses. Morte de Arrúncio Tarquínio e de Bruto
114 - Funerais de Bruto. Defesa de Valério
116 - Promulgação de leis populares. Consagração do templo de Júpiter Capitolino
117 - Marcha do chefe Porsena contra Roma (507 a.C.). Isenção de impostos para a plebe
118 - Heroísmo de Horácio Cocles
120 - Cerco de Roma. Estratégia de Públio Valério
122 - Coragem e estoicismo de Caio Múcio Cévola
123 - Tratado de paz com Porsena. Heroísmo de Clélia
125 - Venda dos bens de Porsena. Guerra dos etruscos com os aricinos
126 - Última intervenção de Porsena a favor dos Tarquínios
127 - Guerra com os sabinos. Morte de Públio Valério
128 - Destruição de Pomécia
129 - Eleição do primeiro ditador em Roma (501 a.C.). Ameaça de guerra com os sabinos
130 - Batalha do lago Regilo (c.496 a.C.). Participação de Tarquínio Soberbo
132 - Morte de Marco Valério e de outros chefes. Fim da guerra com os latinos
133 - Morte de Tarquínio Soberbo (c.495 a.C.)
134 - Derrota dos volscos. Reconciliação com os latinos
136 - Revolta da plebe contra a prisão por dívidas
138 - Mediação do cônsul Públio Servílio
139 - Campanha contra os volscos
140 - Guerra com sabinos e auruncos
141 - Graves dissensões entre a plebe e o governo
143 - Conspiração da plebe. Pressão do Senado sobre os cônsules
144 - Dissensões no Senado
146 - Nomeação de um ditador (c.494 a.C.). Guerra com os volscos
147 - Derrota dos sabinos e dos équos. Abdicação de Valério
149 - Retirada da plebe para o monte Sacro. Discurso de Menênio Agripa
151 - Criação do tribunato da plebe (c.493 a.C.). Aliança com os latinos. Coriolano
152 - Escassez de trigo em Roma. Violência de Coriolano
154 - Novas dissensões entre patrícios e plebeus
155 - Visão do plebeu Tito Latínio
156 - Cilada de Átio Túlio
157 - Sublevação dos volscos por Átio Túlio
158 - Campanha dos volscos sob o comando de Cneu Márcio Coriolano. Derrota dos romanos
160 - Atuação das matronas romanas
162 - Primeira tentativa de reforma agrária (486 a.C.)
163 - Campanha contra équos e volscos
165 - Guerra com os équos e os veienses (482 a.C.)
167 - Aliança entre veienses e etruscos
168 - Tática do cônsul Marco Fábio (480 a.C.)
171 - Combate contra veienses e etruscos. Destaque dos três Fábios
172 - Morte do cônsul Cneu Mânlio (480 a.C.)
174 - Nova guerra com os équos, volscos e veienses
175 - Os 306 Fábios (478 a.C.)
177 - Massacre dos Fábios
178 - Massacre dos veienses
180 - Julgamento dos cônsules. Tito Menênio e Espúrio Servílio
181 - Guerra com veienses e sabinos (475 a.C.)
182 - Assassínio do tribuno da plebe Cneu Genúcio
183 - Prisão de Volero Publício. Revolta da plebe
185 - Eleição de Volero Publício como tribuno da plebe (472 a.C.). Tumulto na assembléia
187 - Aprovação da Lei de Volero Publício
188 - Revolta dos soldados contra Ápio Cláudio
189 - Derrota dos romanos. Vingança de Ápio Cláudio
190 - Adesão dos soldados ao cônsul Tito Quíncio (471 a.C.)
191 - Julgamento de Ápio Cláudio (470 a.C.)
192 - Duas campanhas frustradas
193 - Romanos contra équos, volscos e sabinos
194 - Derrota dos sabinos. Luta com os volscos e seus aliados (468 a.C.)
195 - Derrota dos volscos
197 - Resumo do Livro 2

Livro 3 - Da criação da colônia de Âncio (467 a.C.) à batalha de Corbião (446 a.C.)

199 - Criação de uma colônia romana em Âncio (467 a.C.)
200 - Guerra contra os équos
201 - Vitória dos romanos sobre os équos
203 - Derrota do cônsul Espúrio Fúrio Fusco (c.464 a.C.)
204 - Vitória do Tito Quíncio sobre os équos
206 - Epidemia em Roma (463 a.C.)
208 - Incursões de équos e volscos no território romano
209 - Derrota dos volscos
211 - A proposição Terentüia (462 a.C.)
213 - Prodígios em Roma. Discussão da lei Terentília
215 - Resistência dos patrícios. Citação de Ceso Quíncio por Aulo Virgínio
217 - Súplicas a favor de Ceso Quíncio
218 - Condenação e exílio de Ceso Quíncio
219 - Manobra da juventude patricia para impedir a aprovação da lei
220 - Sublevação dos escravos e exilados por Ápio Herdônio Sabino (460 a.C.)
222 - Intranqüilidade em Roma
223 - Discurso do cônsul Públio Valério
224 - Retomada do Capitólio. Morte de Públio Valério Publícola (460 a.C.)
226 - Discurso do cônsul Lúcio Quíncio Cincinato
228 - Obstrução de Tito Quíncio Cincinato à promulgação da lei
229 - Discurso de Tito Quíncio Cincinato
230 - Guerra contra équos e volscos (459 a.C.)
231 - Vitória sobre équos e volscos
232 - Citação de Marco Vólscio
234 - Violação do tratado de aliança pelos équos
235 - Invasão dos sabinos. Nomeação de Lúcio Quíncio Cincinato ditador (458 a.C.)
237 - Recrutamento de um exército por Lúcio Quíncio Cincinato
238 - Vitória de Lúcio Quíncio Cincinato sobre os équos (458 a.C.)
239 - Triunfo de Lúcio Quíncio Cincinato. Condenação de Vólscio
241 - Aumento do número de tribunos da plebe. Batalha no Algido (458 a.C.)
242 - Acordo entre patrícios e plebeus para a redação de uma nova lei (Lei das 12 tábuas)
243 - Epidemia em Roma. Retomo dos legados romanos com as leis áticas
244 - Nomeação dos decênviros (451 a.C.). Liderança de Ápio Cláudio
245 - Votação da lei
246 - Eleição de novos decênviros
247 - Instauração de um regime de terror
248 - Arbitrariedades praticadas pelos decênviros
249 - Ameaça de guerra. Convocação do Senado pelos decênviros
251 - Reunião do Senado. Reação do senador Marco Horácio Barbato ("os dez Tarquínios")
253 - Intervenção de Lúcio Comélio Maluginense em favor dos decênviros
254 - Permanência dos decênviros no poder
256 - Fracasso dos decênviros no comando das tropas
256 - Assassínio de Lúcio Sício por ordem dos decênviros
257 - Paixão criminosa de Ápio Cláudio (449 a.C.)
259 - Defesa de Virgínia por Icílio Lúcio
260 - Liberdade provisória de Virgília
261 - Sentença iniqua de Ápio Cláudio
262 - Morte de Virgínia
264 - Intervenção de Lúcio Valério e Marco Horácio. Derrota de Ápio Cláudio
265 - Adesão do exército à causa de Virgínio
267 - Nomeação de tribunos militares pela plebe
268 - Segunda secessão da plebe no monte Sacro. Renúncia dos decênviros (449 a.C)
269 - Exigências da plebe. Resposta dos legados. Valério e Horácio
270 - Restabelecimento da paz entre patrícios e plebeus. Nomeação de tribunos da plebe
272 - Restabelecimento da inviolabilidade dos tribunos da plebe. Leis de proteção à plebe
274 - Citação de Ápio Cláudio por Virgínio
275 - Apresentação da lei das "Doze Tábuas". Prisão de Ápio Cláudio
277 - Julgamento e condenação dos decênviros (449 a.C.)
278 - Inquietação política em Roma
279 - Combate contra équos e volscos
280 - Vitória do cônsul Valério (449 a.C.). Estratégia de Horácio contra os sabinos
282 - Combate contra os sabinos. Destaque da cavalaria
284 - Primeiro triunfo decretado pelo povo, sem autorização do Senado (449 a.C.)
285 - Oposição de Marco Duílio à reeleição de tribunos da plebe
287 - Novas discórdias entre patrícios e plebeus
288 - Devastação dos territórios latino e romano pelos volscos e équos
289 - Discurso do cônsul Tito Quíncio Capitolino (446 a.C.)
291 - Continuação do discurso do cônsul Tito Quíncio Capitolino
292 - Voto de confiança a Tito Quíncio Cincinato. Alistamento
294 - Vitória dos romanos sobre équos e volscos
296 - Apelo dos aricinos e ardeatos para o arbítrio do povo romano em questão de fronteira
297 - Vergonhosa decisão da assembléia do povo
299 - Resumo do Livro 3

Livro 4 - Da Lei Canuléia (445 a.C.) à Guerra com Véios (405 a.C.)

301 - Novos projetos dos tribunos (445 a.C.)
302 - Reação dos cônsules
304 - Discurso de Canuléio
305 - Discurso de Caouléio (continuação)
307 - Discurso de Canuléio (continuação)
308 - Aprovação da lei Canuléia (445 a.C.). Criação de tribunos militares
310 - Governo dos tribunos militares. Interregno. Eleição de cônsules
311 - Instituição da censura (443 a.C.)
312 - Luta civil em Ardéia
314 - Vitória sobre os équos
315 - Restituição de terras a Ardéia (442 a.C.)
316 - Escassez de trigo em Roma
317 - Conspiração de Espúrio Mélio para alcançar a realeza
319 - Citação e morte de Mélio (439 a.C.)
320 - Justificativas apresentadas à plebe por Lúcio Qüíncio
321 - Homenagem a Lúcio Minúcio. Eleição de tribunos militares
322 - Guerra contra fidenates e etruscos
323 - Combate contra veienses, fidenates e fatiscos (437 a.C.)
324 - Vitória dos romanos. Destaque de Aulo Comélio Cosso
325 - Aulo Comélio Cosso: tribuno ou cônsul?
327 - Epidemia em Roma. Invasão do território romano pelos fidenates e veienses (436 a.C.)
328 - Estratégia de Auto Servílio. Tomada de Fidenas
329 - Ameaça de toda a Etrúria. Eleição de um ditador (434 a.C.)
330 - Redução do mandato dos censores
331 - Novas tentativas dos tribunos da plebe para acesso às altas magistraturas
332 - Mobilização dos équos e dos volscos. Nomeação de um ditador (431 a.C.)
334 - Combate contra équos e volscos
335 - Reação dos volscos chefiados por Vétio Méssio
336 - Triunfo de Auto Postúmio
338 - Incursões de veienses e fidenates em território romano. Seca e epidemia em Roma (430 a.C.)
339 - Campanha desastrosa contra os veienses (426 a.C.)
341 - Discurso de Mamerco Emílio. Encontro dos três exércitos
342 - Combate a ferro e fogo. Nova tática da cavalaria romana
344 - Rendição e saque de Fidenas
345 - Realização dos jogos prometidos por Aulo Postúmio (424 a.C.). Protestos dos tribunos da plebe pelo desprestígio de sua classe
346 - Golpe dos tribunos militares contra as pretensões da plebe
347 - Guerra contra os volscos. Negligência do cônsul Caio Semprônio Atratino (423 a.C.)
348 - Reação da cavalaria. Destaque de Sexto Semprônio
349 - Desfecho de uma batalha sem vencedor
350 - Chegada da cavalaria a Roma
351 - Depoimento de Tempânio. Condenação de Marco Postúmio
352 - Solidariedade dos soldados ao ex-cônsul Caio Semprônio (422 a.C.)
353 - Duplicação do número de questores. Conflitos entre patrícios e plebeus (421 a.C.)
355 - Vingança dos tribunos da plebe. Condenação de Caio Semprônio (420 a.C.)
357 - Conspiração dos escravos. Declaração de guerra a Labico (418 a.C.)
358 - Derrota dos romanos. Nomeação de Quinto Servílio como ditador (418 a.C.)
359 - Derrota dos équos. Tomada de Labico
360 - Debates sobre a lei agrária (c.416 a.C.)
362 - Guerra contra os bolanos. Arbitrariedade de Marco Postúnúo Regilense (414 a.C.)
364 - Sublevação dos soldados. Assassínio de Postúmio (414 a.C.)
365 - Inquérito sobre a morte de Postúmio (413 a.C.). Captura de Ferentino
366 - Epidemia e fome em Roma (412 a.C.)
367 - Debates sobre o alistamento e a lei agrária
368 - Eleição de questores plebeus (409 a.C.)
369 - Massacre da guarnição de Carvento. Vitória parcial dos tribunos da plebe
370 - Ameaça de guerra dos volscos e dos équos. Oposição dos tribunos militares à eleição de um ditador (408 a.C.)
372 - Intervenção do tribuno Caio Servílio Abala. Derrota dos volscos
373 - Massacre da guarnição de Verrúgine (407 a.C.). Tentativa de mobilização contra Véios
375 - Tomada de Anxur. Instituição do soldo militar
376 - Protestos dos tribunos da plebe contra o decreto do senado. Criação de novo imposto
377 - Guerra contra os volscos (405 a.C.). Destruição de Artena
379 - Resumo do Livro 4

Livro 5 - Da Guerra com Véios (403 a.C.) ao saque de Roma (390 a.C.)

381 - Guerra contra Véios (403 a.C.)
382 - Construção de quartéis de inverno. Revolta dos tribunos da plebe
383 - Discurso de Apio Cláudio
384 - Discurso de Ápio Cláudio (continuação)
386 - Discurso de Ápio Cláudio (continuação)
387 - Discurso de Ápio Cláudio (continuação)
389 - Reação dos veienses. Apresentação de voluntários para a guerra contra Véios
391 - Tomada de Anxur pelos volscos (402 a.C.). Desentendimento entre os generais romanos
392 - Demissão dos tribunos militares. Novas eleições
393 - Mobilização geral em Roma (401 a.C.). Nomeação de tribunos da plebe por cooptação. Reação da plebe contra novo imposto
395 - Julgamento de Lúcio Virgínio e de Marco Sérgio
397 - Eleição de um tribuno militar plebeu (400 a.C.)
398 - Primeiro lectistérnio em Roma. (399 a.C.) Vitória dos romanos na guerra contra capenates, faliscos e veienses
400 - Vitória dos patrícios nas eleições de tribunos militares (398 a.C.)
401 - Vaticínio da vitória de Roma sobre Véios
403 - Invasão do território de Roma pelos tarquinienses. Resposta do oráculo de Delfos (397 a.C.)
404 - Debates na Etrúria sobre a concessão de auxílio a Véios
405 - Discurso de Licínio Calvo. Derrota dos exércitos comandados por Lúcio Titinio e Cnéio Genúcio (396 a.C.)
407 - Nomeação de Marco Fúrio Camilo para ditador (396 a.C.)
408 - Debates sobre a distribuição dos despojos de Véios
409 - Promessa de Camilo a Apolo. Tomada de Véios
411 - Mudança da estátua de Juno para Roma
412 - Triunfo de Camilo
413 - Debates sobre a criação de colônias em território volsco e veiense
414 - Pagamento da promessa feita por Camilo
416 - Cerco de Falérios (394 a.C.)
417 - Tratado de paz com os faliscos
419 - Campanha contra os équos
421 - Recrudescimento dos ânimos entre patrícios e plebeus (393 a.C.)
422 - Oposição ao projeto de emigração para Véios
423 - Guerra contra os volsinienses e sapinates (392 a.C.)
424 - Fim da guerra com volsinienses e sapinates. (391 a.C.) Exílio de Camilo
425 - Primeiras incursões gaulesas na península itálica
426 - Primeiras incursões gaulesas na península itálica (continuação)
428 - Ameaça dos gauleses a Clúsio. Intervenção de Roma
429 - Combate contra os clusinos. Participação dos embaixadores romanos
430 - Chegada dos gauleses ao Ália (390 a.C.)
431 - Primeiro encontro com os gauleses. Derrota dos romanos
433 - Marcha dos gauleses sobre Roma. Organização da defesa da cidade
434 - Medidas tomadas para a defesa de Roma
435 - Massacre dos velhos patrícios
437 - Resistência dos romanos
438 - Massacre dos gauleses nas rampas do Capitólio
439 - Discurso de Camilo aos ardeates
440 - Massacre dos gauleses pelos ardeates
441 - Coragem de Fábio. Preparativos dos romanos
443 - Os gansos do Capitólio
444 - Rendição do Capitólio. Insolência de Breno
445 - Intervenção de Camilo. Vitória dos romanos
447 - Restauração e purificação dos templos. Medidas de caráter religioso
448 - Discurso de Camilo
449 - Discurso de Camilo (continuação)
451 - Discurso de Camilo (continuação)
453 - Discurso de Camilo (continuação)
454 - Reconstrução de Roma
455 - Resumo do Livro 5

Continue lendo essa série:
Um guia para a obra de Tito Lívio - Ab Urbe Condita Libri (Livros VI-XXI)

Gostou desse artigo?




Mais artigos sobre Tito Lívio

Um guia para a obra de Tito Lívio - Ab Urbe Condita Libri (Livros VI-XXI)

Artigo publicado em 08/05/2021.



Foto de membro da equipe do site: Moacir Führ

Escrito por

Moacir Führ

Moacir tem 34 anos e nasceu em Porto Alegre/RS. É graduado em História pela ULBRA (2008-12) e é o criador e mantenedor do site Apaixonados por História desde 2018.

Fechar

Comentários dos visitantes

Ícone alerta azul

Contribua para um debate inteligente e educado na internet.
Não seja um troll.