Busque no site
Ver mais opções
Conteúdos dos capítulos do livro

Livros   >    Brasil Colônia

Duas viagens ao Brasil História Verídica e descrição de uma terra de selvagens, nus e cruéis comedores de seres humanos, situada no Novo Mundo da América, desconhecida antes e depois de Jesus Cristo nas terras de Hessen até os dois últimos anos, visto que Hans Staden, de Homberg, em Hessen, a conheceu por experiência própria, e que agora traz a público com esta impressão.

341 visualizações    |    0 comentário(s)

Capa do livro Duas viagens ao Brasil, de Hans Staden
Informações técnicas

Autor: Hans Staden
Título original: Hans Staden: Zwei Reisen nach Brasilien
Páginas: 192
Editora: L&PM
Primeira publicação: 1556
Ano da edição: 2014
Idioma: Português

Sinopse

Duas vezes em meados do século XVI, o mercenário e arcabuzeiro alemão Hans Staden (c.1524-c1576) aportou nas costas do recém-descoberto Brasil. A primeira, em 1549, passando por Pernambuco e pela Paraíba; e a segunda, em 1550, quando chegou na ilha de Santa Catarina, dirigindo-se posteriormente à capitania de São Vicente, no litoral sul do atual estado de São Paulo. Na segunda viagem, como viera a bordo de um navio espanhol, foi preso pelo governador-geral, o português Tomé de Sousa, e em seguida capturado pelos índios tamoios, inimigos dos tupiniquins e dos portugueses e aliados dos franceses. O jovem Staden viveu para contar o que viu: paisagens virgens, riquezas inexploradas e a prática ritual do canibalismo, do qual por muito pouco não foi vítima. O livro com o seu relato foi publicado em 1557, em Marburgo, Alemanha, ilustrado por xilogravuras anônimas (aqui reproduzidas) baseadas nas suas descrições, e imediatamente tornou-se um "best-seller" em toda a Europa. Trata-se da mais acurada e impressionante descrição do banquete antropofágico - o festim canibal praticado pelos povos Tupi. É, também (junto à "Carta de Pero Vaz de Caminha") uma das primeiríssimas reportagens realizadas sobre os povos que viviam no que viria a ser o Brasil, um eletrizante relato feito por, como diz Eduardo Bueno na introdução, "um estrangeiro em um mundo estranho".

Com um estilo coloquial e direto, eis um livro soberbo e necessário, fundamental para a cultura brasileira.

Fonte primária
Hans Staden

Hans Staden (c.1525-1576) foi um aventureiro mercenário alemão do século 16. Por duas vezes, Staden esteve no Brasil, onde participou de combates nas capitanias de Pernambuco e de São Vicente contra navegadores franceses e seus aliados indígenas e onde passou nove meses escravo dos índios tupinambás.

Análise do livro

Esse livro ainda não foi resenhado.

Outros livros sobre Índios no Brasil
Comentários sobre o livro

Cadastre-se ou faça login para comentar

Cadastre-se

Ainda não há comentários nessa página.
Seja o primeiro a comentar.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.