Greek Hoplite 480-323 BC

Weapons - Armour - Tactics

Livros > Grécia Antiga  |  33 visualizações

Capa do livro Greek Hoplite 480-323 BC, de Nicholas Sekunda
Título traduzido: O Hoplita Grego 480-323 a.C.
Autor: Nicholas Sekunda
Páginas: 64
Editora: Osprey Publishing
Ano da edição: 2000
Idioma: Inglês
Skoob: Acessar

Sinopse:

O hoplita grego, o guerreiro arquetípico armado com lança, talvez seja a figura mais predominante em nossa visão da "Idade de Ouro" da civilização grega antiga. Foi durante esse período que o Estado passou a assumir maior responsabilidade pela organização militar e pelo armamento e equipamento de seus cidadãos. Da vitória em Maratona sobre Dario da Pérsia, através da amarga guerra civil entre Esparta e Atenas, até a ascensão de Filipe da Macedônia e seu filho Alexandre, o Grande, o soldado hoplita estava na linha de frente. Este título narra a vida e experiências do guerreiro grego comum, como ele foi recrutado, treinado e combatido, e também analisa em detalhes como suas armas, armaduras, escudos e elmos se desenvolveram no decorrer do tempo.


Imagens

Ainda não temos fotos desse livro, se você tiver e quiser coloborar com o site, envie pra gente através do nosso email contato@apaixonadosporhistoria.com.br.
Os créditos serão atribuídos nas imagens.

Análise do livro

SEKUNDA, Nicholas. Greek Hoplite 480-323 BC. Osprey: Oxford, 2000.

Esse é um livro da coleção Warrior da editora Osprey, que se foca no guerreiro grego de infantaria pesada. O hoplita era o cidadão grego que possuía terras e condições financeiras para adquirir o seu próprio armamento: escudo, elmo, couraça, grevas, lança e espada. Esse guerreiro lutava em uma formação conhecida como falange, juntamente com outros cidadãos de sua cidade, em guerras que normalmente envolviam disputas de fronteiras e lutas por áreas férteis.

O autor divide a sua obra em cinco partes:

O Soldado Cidadão

O livro começa apresentando uma definição do guerreiro hoplita e dá detalhes do treinamento militar dos jovens cidadãos do sexo masculino, os efebos. O autor também descreve a falange e o foco que era dado ao treinamento de táticas de grupo, relegando as habilidades de luta individuais.

Equipamento

A armadura completa de um hoplita custava cerca de 30 dracmas, o equivalente ao salário de um mês. O autor descreve cada uma de suas partes: o escudo, o elmo, a couraça, a lança e a espada. Também comenta sobre a indústria de produção de armas e a preferência dada à mobilidade em detrimento da proteção.

A Campanha

A campanha mostra a mobilização, o papel dos deficientes nas lutas, a partida para a guerra e a questão da logística: alimentos, equipamentos e uso de escravos para transporte.

A Batalha Hoplita

Aqui temos mais detalhes sobre a batalha em si. Como era o encontro das falanges, o papel que o medo desempenhava nos conflitos, o canto de batalha e os sacríficios rituais que a precediam, o uso de watchwords (senha militar), a perseguição aos derrotados.

O autor também faz uma descrição do que acontecia após as batalhas: saque de corpos, erguimento de troféu, lista de mortos erguidas nas cidades e os ferimentos dos sobreviventes.

A Estratégia de Devastação

A tática da devastação, que se baseava na ideia de invadir as terras inimigas e destruir casas, plantações e cometer assassinatos era muito comum na Grécia Antiga e costumava estimular as batalhas hoplitas, como uma forma rápida de resolver os conflitos entre cidades e dar um fim a essa prática.

Aqui o autor também descreve o uso de cavalos, arqueiros e soldados de infantaria leve nos conflitos. E fala sobre a razão dos cercos terem sido incomuns na Grécia Clássica.

The Plates

Nessa parte da obra o autor apresenta 10 desenhos com recriações históricas feitos por Adam Hook, e faz comentários detalhados para dar uma referência visual mais clara sobre os temas trabalhados no livro. As placas apresentam os seguintes títulos:

A) Hoplita e seu equipamento
B) Treinamento efebo
C) Partida para a campanha
D) Serviço naval e transporte
E) Devastação
F) Hoplitas durante a Guerra do Peloponeso
G) Exercício de batalha espartano
H) Batalha de Queronéia 394
I) Após a batalha
J) Hoplita no final do século 4

Sobre o livro

Essa é com certeza uma obra super recomendada para aqueles que querem saber mais sobre o hoplita e sobre a guerra na Grécia Antiga Clássica. O livro é curto mas traz muitas informações e a leitura é muito agradável.

O autor também apresenta muitas fotos de relevos, estátuas e outros achados arqueológicos da época, e todas elas são muito bem referenciadas. Além disso, Sekunda também usa muitas citações de autores antigos e peças de teatro para ilustrar como os conceitos apresentados refletiam a realidade dos gregos. E as plates (placas com desenhos) são maravilhosas e contribuem muito para o entendimento dos temas discutidos no livro.

Como fiz a leitura da obra através de um pdf baixado na internet, não consegui postar fotos da obra. Mas abaixo você confere alguns screenshots do arquivo PDF.

Fotos das páginas do livro.

Resenha publicada em 29/07/2019.

Nicholas Sekunda

Nicholas Sekunda nasceu em 1953. Depois de estudar História Antiga e Arqueologia na Universidade de Manchester, ele fez seu doutorado em 1981. Ele participou de escavações arqueológicas na Polônia, Irã e Grécia e de um projeto de pesquisa sobre a antiga guerra persa para o Instituto Britânico de estudos persas. Sekunda publicou vários livros e artigos acadêmicos, e atualmente está ensinando no Instituto de Arqueologia e Etnologia em Torun, na Polônia.

Historiador(a)
Foto do membro da equipe: Moacir Führ

Escrita por

Moacir Führ

Moacir tem 32 anos e nasceu em Porto Alegre/RS. É graduado em História pela ULBRA (2008-12) e é o criador e mantenedor do site Apaixonados por História desde 2018.

Mais livros sobre Guerra na Antiguidade

The Greek and Persian Wars 499–386 BC

História da Guerra do Peloponeso (Livro I)

Maratona 490 a.C.

Ancient Armies of the Middle East

Comentários dos visitantes

Ícone alerta azul

Contribua para um debate inteligente e educado na internet. Não seja um troll.