Busque no site
Ver mais opções
Conteúdos dos capítulos do livro

Livros   >    Grécia Antiga

O Teatro antigo

789 visualizações    |    0 comentário(s)

Capa do livro O Teatro antigo, de Pierre Grimal
Informações técnicas

Autor: Pierre Grimal
Título original: Le théatre antique
Coleção: Lugar da História
Páginas: 112
Editora: Edições 70
Primeira publicação: 1978
Ano da edição: 2002
Idioma: Português

Sinopse

O teatro antigo foi o que nasceu e se desenvolveu dentro das duas grandes civilizações antigas, a da Grécia e a de Roma, causa e origem da nossa própria civilização. Mas este teatro não pertence só ao passado; a sua história interessa a toda a cultura ocidental, sobre a qual exerceu uma influência muito importante e, em certos momentos, determinante. O teatro antigo é um complexo fenómeno literário e humano. A sua vida estende-se por um período muito longo, pois a primeira tragédia que sabemos ter sido representada situa-se sob a tirania de Pisístrato, em Atenas, cerca de 534 a. C., e pode considerar-se que as últimas obras dramáticas por nós conhecidas são as trágédias de Séneca, escritas, sem dúvida, entre 45 e 60 depois de Cristo, mais ano menos ano. Por conseguinte, uma vida de cerca de seis séculos. Por outro lado, não devemos esquecer que este teatro se desenvolveu em duas sociedades muito diferentes - na Grécia sobretudo, em Atenas, e depois em Roma.

Historiador
Pierre Grimal

Pierre Grimal nasceu em Paris a 21 de Novembro de 1912. É um dos historiadores e latinistas franceses mais respeitados do século XX. Profundamente apaixonado pela Civilização Romana, Pierre Grimal foi uma das pessoas que mais se dedicou à promoção da herança cultural da Roma Antiga, tanto no seio de especialistas como no grande público. Foi professor de Civilização Romana nas Faculdades de Caen, de Bordéus e, durante trinta anos, na Sorbonne. Foi, também, membro fundador da Escola Francesa de Roma. Morreu em Paris a 11 de Outubro de 1996.

Análise do livro
2/5 RUIM

GRIMAL, Pierre. O Teatro Antigo. Lisboa: Edições 70, 2002.

O Teatro Antigo é uma obra do historiador francês Pierre Grimal sobre a história do teatro na Grécia e na Roma Antiga. Pierre Grimal é um conhecido especialista na Roma Antiga e suas obras costumam ser muito caras no Brasil, isso porque elas não foram lançadas por editoras brasileiras, e as versões disponíveis são versões portuguesas. Mas a maior parte delas pode ser encontrada em ebooks gratuitos. Dá uma conferida na Library Genesis.

Capítulos da obra

Não farei um resumo de cada um dos capítulos porque os títulos são auto-explicativos e a obra é curta. Confira a lista de capítulos abaixo:

Introdução
1 - O local do espetáculo
2 - A formação dos gêneros dramáticos
3 - A tragédia grega clássica
4 - A comédia antiga
5 - A comédia nova
6 - Nascimento do teatro em Roma
7 - A tragédia em Roma
8 - A comédia romana
Conclusão

Comentários

Achei essa uma obra de linguajar especialmente confuso e desnecessariamente rebuscado. Pierre Grimal não é um grande escritor mas suas obras costumam ser relativamente agradáveis de ler. O autor só complica a escrita quando fala sobre literatura e, pelo visto, sobre teatro.

A obra é pouco didática e a organização é confusa. Acho que o livro teria sido mais interessante se o autor tivesse organizado o livro de outra forma. O que se espera de uma obra que fala desse tema?

  • uma apresentação do teatro grego e romano e suas diferenças (como eram as peças, roteiro, atores, cenários, etc)
  • história dos grandes autores do teatro grego e romano, suas principais peças e características
  • algo sobre a importância do teatro, a história da construção de espaços para teatro, financiamento, etc
  • história das festas dionisíacas, onde o teatro realmente surgiu na Grécia

O autor trata desses temas? Até trata, mas de uma forma confusa, bagunçada e sem profundidade. O texto da Wikipedia sobre as Festas Dionísicas vai mais a fundo sobre o tema do que essa obra. Realmente fiquei bastante decepcionado.

Teria ajudado se o autor usasse subtítulos sempre que iniciasse um novo tópico. Do jeito que está a obra é desorganizada demais. Também teria sido bom se o autor dedicasse mais espaço a descrever as obras dos principais autores que sobreviveram, diga-se Ésquilo, Sófocles, Eurípides, Aristófanes. Além disso, teria sido importante colocar trechos das peças para ilustrar os argumentos. O autor fala muito sobre métrica, sobre a atuação dos coros e esse tipo de coisa ficaria mais fácil de entender com exemplo das peças. O que seria extremamente simples de ter sido feito!

O autor também deveria ter colocado ao final da obra uma lista completa de todas as obras que sobreviveram completas e incompletas e que estão disponíveis para leitura. Você pode pensar: Mas é só pesquisar isso na internet! O que você está esquecendo é que essa obra foi escrita antes da internet, em uma época em que era difícil obter esse tipo de informação, e era de se esperar que uma obra era intitulada O TEATRO ANTIGO, tivesse uma lista de obras do TEATRO ANTIGO! Sempre me chama atenção o tipo de absurdo que autores pré-internet cometeram em suas obras. Comprometimento zero em produzir um livro realmente informativo.

Uma coisa ainda mais interessante seria fazer um anexo final com todas as peças gregas conhecidas e um resumo rápido. Não tomaria mais de 7,8 páginas e seria uma excelente fonte para consulta. O autor até faz algo nesse estilo no capítulo 8, quando resume rapidamente o roteiro de cada uma das peças de Plauto e Terêncio, cômicos romanos.

Os livros de Pierre Grimal também chamam a atenção negativamente pela falta de notas explicativas. Um exemplo, na página 79 o autor fala o seguinte:

Se acreditarmos em Tito Lívio (e nenhuma razão séria o impede), foi em Roma que os jogos cénicos tomaram uma nova figura, quando os «jovens» come­çaram a acompanhar a música e as danças destes jogos com textos poéticos, versos de carácter divertido e satí­rico. Conclui-se que Tito Lívio fala aqui de um género determinado, que se teria chamado a «sátira dramática» (p.79)

Aqui aonde? Em que texto de Tito Lívio está essa afirmação? Não sei, o autor não coloca essa informação na obra.

Esse é um dos aspectos que faz com que pensemos que a obra de Pierre Grimal é voltada ao público leigo, sem grandes pretensões acadêmicas. Mas o problema é que essa não é uma obra divertida. Ninguém lerá esse livro por prazer, pelos motivos que enumerei acima. Logo, se o público é o meio acadêmico... cadê as notas, Pierre?

Finalizando: dei 2 estrelas para a obra por tudo isso. O livro é uma leitura pesada que informa pouco e complica demais o que é fácil. Não recomendaria a leitura dessa obra para os interessados no tema. Com certeza existem livros melhores por aí. Em última caso, a melhor forma de conhecer o teatro antigo é lê-lo, e há diversas peças disponíveis para leitura. Você pode encontrar peças de Eurípides, Sófocles, Ésquilo, Aristófanes, Plauto e Terêncio na Library Genesis.

Essa obra também está disponível na Library Genesis. Quem tiver interesse em saber informações detalhadas sobre o conteúdo do livro pode conferir minhas anotações de leitura e as fotos da obra, links para ambos na tarja acima dessa resenha.

Resenha escrita em 10/11/2022.

Foto do membro da equipe: Moacir Führ
Escrita por Moacir Führ

Moacir tem 36 anos e nasceu em Porto Alegre/RS. É graduado em História pela ULBRA (2008-12) e é o criador e mantenedor do site Apaixonados por História desde 2018.

Outros livros sobre Teatro grego
Comentários sobre o livro

Cadastre-se ou faça login para comentar

Cadastre-se

Ainda não há comentários nessa página.
Seja o primeiro a comentar.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.