Busque no site
Ver mais opções
Conteúdos dos capítulos do livro

Livros   >    Idade Moderna

Os grandes julgamentos - Carmagnola e Savonarola

216 visualizações    |    0 comentário(s)

Capa do livro Os grandes julgamentos - Carmagnola e Savonarola, de Franco Massara
Informações técnicas

Autor: Franco Massara
Título original: Les grands procés de l'histoire: Carmagnola et Savonarola
Coleção: Os grandes julgamentos da História
Páginas: 348
Editora: Otto Pierre Editores
Ano da edição: ?
Idioma: Português

Sinopse

Essa obra tráz mais dois grandes julgamentos da História:

Conde de Carmagnola (1380-1432), ou Francesco Bussone, era um condottiero italiano. Se tornou capitão-general de Veneza em 1426. A república, impaciente com sua lentidão na guerra, aumentou seus pagamentos para incentivar seu ardor, mas em vão. Ao mesmo tempo, Carmagnola recebia perpetuamente mensageiros de Visconti, que lhe ofereciam grandes recompensas se ele abandonasse os venezianos. O general brincava com seu passado como com seus atuais empregadores, acreditando em sua tola vaidade que tinha o destino de ambos em suas mãos. Mas os venezianos eram mestres perigosos para brincar e, quando finalmente perderam toda a paciência, o Conselho dos Dez decidiu levá-lo à justiça. Ao voltar a Veneza, ele foi capturado, preso e levado a julgamento por traição contra a república. Ele foi condenado à morte e decapitado.

Girolamo Savonarola (1452-1498) foi um padre dominicano e pregador na Florença renascentista que ficou conhecido por supostas profecias, pela destruição de objetos de arte e artigos de origem secular e seus apelos a reforma da igreja católica. Savonarola denominava-se um profeta, e escreveu sobre suas supostas visões em seu Compendium revelationum, em que ele associava a corrupção do clero com um dilúvio de pecados e libertinagem e o rei Carlos VIII da França a um "novo Ciro". Quando a França invadiu a Itália e ameaçou intervir em Florença em 1494, essas profecias pareceram se realizar e Savonarola conseguiu suporte público para afastar os Médici do poder e declarar Florença uma "república popular". Mas quando sua influência na cidade diminuiu, seus inimigos o levaram à autoridade secular. Algumas confissões foram obtidas sob tortura, e ele foi condenado à morte na fogueira.

Análise do livro

Esse livro ainda não foi resenhado.

Outros livros sobre Idade Moderna
Comentários sobre o livro

Cadastre-se ou faça login para comentar

Cadastre-se

Ainda não há comentários nessa página.
Seja o primeiro a comentar.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.